06/12/10

querido pai, é para ti!


Pai,
Faz quase 1 ano, e durante este tempo todo, tudo mudou.
A tua ausência, ausência essa que me atormentou durante meses, ausência que mudou muito em mim. Não guardo rancor, não muito admito - o muito que tinha, foi-se desgastando com o tempo - , só consigo pensar que tudo o que fizes-te não conseguis-te pensar nas tuas filhas que tinham total confiança em ti.
Mesmo quando ainda eras casado com a mamã, nunca foste um pai presente, um pai preocupado, um pai como o dos meus amigos. Nunca me levas-te a passear, minutos eram poucos quando te sentavas ao pé de mim a ver TV, nunca te importas-te para onde eu ia ou deixava de ir. Berravas constantemente, comigo e com a mana, por não estarmos a horas na mesa para jantar, e nessas refeições não nos falavas, não querias saber que ali estávamos.
No Dia do Pai, nunca tives-te presente, nem mesmo nas missas para celebrar o teu dia, como os outros pais e quando te oferecia alguma coisa, iam todas para o mesmo armário, para a tua colecção que só a vias no momento em que te oferecia, e ficavam ali, a ganhar pó.
Nunca senti um beijo, um abraço sincero, e quando os tinha, eram muito raros.
Comecei a julgar que já não querias saber da tua família, que só cá estavas por obrigação, e mamã deu conta, muito melhor que nós, é verdade.
Quando comecei a ver as coisas a piorar, sabes qual foi a primeira coisa que me veio à cabeça? Eu sentada no teu colo, a desenhar a Bela e o Monstro, tinha eu 8 anos. E sabes qual foi a ultima? Quando me trouxes-te imensos jogos, duas sacas cheias. Eram dias como estes em que tudo era magnifico.
Quando eu comecei a crescer, porque é que nunca me deste o mesmo afecto? Porque é que nunca soubes-te demonstrar carinho pela tua família?
No dia em que a mamã teve coragem de enrodilhar as tuas roupas, enfia-las numa mala e dizer "Chega!", eu assisti a tudo, sabes? E não dormi uma noite inteira, os meus cabelos ficaram encharcados de tantas lágrimas que caíram.
Dias, horas, minutos, esperei que a mamã mudasse de ideias, que tu mudasses de atitude, mas foi tudo em vão, sem resultado.
E queres saber mais uma coisa pai? Eu sei que apesar de tudo, amas-me, mesmo que nunca o tenhas demonstrado, até porque amor de pai e filho existirá sempre.
Espero que um dia tenhas plena consciência do que fizes-te, do quanto magoas-te as tuas pequenas filhas, que sempre precisaram do pai presente, e peças desculpa. Nós esperamos, bem aqui, no sítio de sempre.
Nunca me esqueci de ti papá, e sempre te amei.

Com muito amor , da tua filha, Daniela.

9 comentários:

- Catii disse...

Está lindo amor +.+
- Eu amo-te melhor amiga

- joanarocha disse...

que lindo .
força !

OKSANA disse...

Gostei mesmo, lindo!

Renato disse...

a história não é feliz, mas o texto está muito bom :')

Renato disse...

eu percebi que foi verdade porque porque o texto é profundo e está tudo muito bem contado :')
não precisas de agradecer ;)

Anónimo disse...

Acho que sei do que falas... Bem, a única coisa que te posso dizer é FORÇA e se precisares sabes que podes contar comigo!
MF*

Anónimo disse...

O comentário de cima era suposto ter sido feito no outro texto mas pronto --
Sobre este texto, adorei, está mesmo lindo, as pessoas cometem erros, mas merecem segundas oportunidades, lembra-te disso!
MF*

Elsa Silva disse...

está lindo amor ;c

RitócashG. disse...

amei *-*